2 de Fev. de 2018 às 15:05

Rachando com Taques Botelho diz que recurso da AL para 2018 é pouco

Presidente da Casa de Leis recebeu carta de governador. Clima é tenso

Gazeta MT

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado -ALMT, Eduardo Botelho -PSB, abriu oficialmente os trabalhos na Casa para o exercício de 2018. Segundo ele, com recurso financeiro insuficiente para atender as demandas.

Botelho agradeceu servidores e colegas pelo desempenho em 2017, mesmo em maio a "espinhos" e "injustiças". "Neste ano, temos questões importantes nas áreas social, ambiental, saúde, indústria, comércio e fiscalização, agronegócio e agricultura familiar, dentre outras. Vamos lutar com todas as forças para cumprir os propósitos pelos quais a sociedade mato-grossense nos conduziu a este posto", afirmou.

Ausente na solenidade, o governador Pedro Taques -PSDB enviou uma carta ao presidente da AL. É sabido, ontem, 1, Botelho decidiu abandonar o barco do projeto político do tucano.

Duodécimo

O discurso vem em um momento em que o Governo do Estado anunciou a intenção de reter parte do duodécimo dos Poderes para ajudar a pagar uma dívida do Executivo com o Bank of America. O presidente já frisou que não aceitará a redução.

Botelho admitiu a possibilidade de judicializar a questão e tentar, pela Justiça, obrigar o Estado a regularizar o repasse constitucional. No entanto, o parlamentar acredita que o caminho pode não ser eficaz. O chefe do Legislativo cobra o pagamento de R$ 24 milhões. Valor necessário para pagar a folha dos servidores que deveria ter sido depositada na quinta (1º de fevereiro).

Ordem judicial

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Rui Ramos, deu prazo de 48 horas para que o governador Pedro Taques efetue o pagamento de duodécimo (repasse constitucional) em atraso ao Judiciário. O documento foi recebido no gabinete do governador, às 17h35, da última quarta-feira (31).