29 de Nov. de 2019 às 07:34

Defesa alega falta de provas e Justiça concede habeas corpus para acusado de matar cliente em posto

O crime foi registrado em novembro do ano, em Rondonópolis.

Cuiabá, MT - Daffiny Delgado

Reprodução / Maroan Fernandes Haidar Ahmed

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ) determinou a substituição do mandado de prisão contra Maroan Fernandes Haidar Ahmed, na tarde de quinta-feira (28), por medidas cautelares.

Ele é acusado de assassinar Fábio Batista da Silva, de 41 anos dentro de um posto de combustível, durante uma briga por farol alto no dia 18 de novembro do ano passado, no município de Rondonópolis.

Um mandado de prisão chegou a ser expedido contra ele, pelo juiz Wagner Plaza Machado Junior, da Primeira Vara Criminal de Rondonópolis, no entanto, Maroan nunca chegou a ser preso.

De acordo com a defesa do acusado, não há indícios que comprovem o envolvimento de Maroan na morte de Fábio.

No pedido de habeas corpus, o advogado ainda ressaltou que as digitais encontradas na capa do volante do veículo Volkswagen Amarok, supostamente utilizado no dia do crime, divergem das dele.

“Nesse inquérito foram colhidos depoimentos testemunhais divergentes e um vídeo, que, em conjunto ou separadamente, não esclarecem de forma segura quem foi o autor do delito. Ainda assim, o resultado da perícia papiloscópica apontou que as digitais encontradas nas garrafas de água que estavam no veículo, supostamente conduzido pelo acusado, ora paciente, na ocasião do disparo da arma de fogo, não convergem com as dele. Também não convergem com as digitais dele aquelas encontradas na capa do volante do veículo", diz trecho de documento.

O crime

As imagens das câmeras de segurança do estabelecimento comercial registraram toda a ação criminosa. Nas imagens, é possível ver o motorista chegando no estabelecimento com uma caminhonete Volkswagen Amarok, que parou na porta da conveniência com os faróis direcionados aos clientes que ali estavam.

Em seguida, um funcionário da conveniência vai até a caminhonete e atende o motorista, que não desliga o veículo. Enquanto isso, clientes passaram a reclamar da luz alta, mas o condutor não deu atenção.

Algum tempo depois, a vítima se levanta de uma das mesas e vai até a caminhonete, bastante irritado ele bate no capô da Amarok e pede para que o motorista desligue o farol.

No entanto, quando se dirigia para sua mesa ele é alvejado por um disparo de arma de fogo nas costas.

Testemunhas acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas quando os paramédicos chegaram, Fábio já estava morto.

A Polícia Militar fez buscas pela região, mas não conseguiu localizar o assassino.

Veja vídeo da morte