27 de Nov. de 2012 às 16:15

Polícia Civil apresenta autores do crime contra vendedor de joias; dupla foi presa em Primavera

Uma terceira envolvida no latrocínio foi presa no final de outubro e está na Cadeia Pública Feminina

LAYLA BATISTA

Welington (esq.) e Valdenir (dir.) foram presos em flagrante em Primavera do Leste por porte ilegal de arma de uso restrito - Foto: Marcos Magalhães/GazetaMTNa tarde desta terça-feira (27), a Polícia Civil apresentou os dois autores do crime contra o vendedor de joias José Maria Gomes, de 74 anos, que foi encontrado carbonizado no último dia 3 de outubro. Valdenir Pereira Neves, vulgo 'brother' e Welington de Oliveira, o 'brotherzinho' foram presos na tarde da última sexta-feira (23), em Primavera do Leste. Patrícia dos Santos Ferreira, 26, (convivente de Valdenir), que também participou da ação criminosa atraindo o vendedor para a casa no Jardim das Flores, foi presa no final de outubro e já encontra-se na Cadeia Pública Feminina.

Segundo Antônio Carlos Araújo, delegado adjunto da DERF (Delegacia de Roubos e Furtos), que presidiu o inquérito policial, os três irão responder por sequestro seguido de latrocínio, podendo pegar a maior pena do Código Penal, que é de 20 a 30 anos. Os autores foram encaminhados a Cadeia Pública, anexo da Mata Grande.

Araújo também revelou que durante depoimento eles negaram a participação no crime, mas provas periciais afirmam que o rastro dos pneus do carro utilizado no dia do crime, são os mesmos do dia do confronto que tiveram com a polícia em uma chácara em Ouro Branco, às margens do Rio Correntes. Neste dia, eles conseguiram fugir. No local onde eles estavam, foi encontrado o Honda Fit de cor preta, joias, documentos e a maleta da vítima.

O DIA DA PRISÃO Momento que a dupla foi presa em Primavera do Leste - Foto: Gazeta/MT

Conforme adiantado com exclusividade pelo GazetaMT, a dupla foi presa na última sexta (23) em uma operação já planejada em conjunto com a delegacia de Primavera, que através de monitoramento, havia constatado Valdenir e Welington na cidade, depois de passarem por diversos outros municípios.

De acordo com Araújo, no dia da detenção, os dois estavam armados e 'brother' ainda tentou fugir da primeira abordagem, mas logo foi contido em posse de uma pistola 9mm, de fabricação alemã. Já Welington, o 'brotherzinho' não reagiu, mas portava um revólver calibre 38. "As armas são as mesmas utilizadas no dia da troca de tiros com os policiais e um deles ainda estava com joias pertencentes ao mostruário de Zé Maria", denuncia.

OUTROS CRIMES

Os acusados também estão sendo investigados por outros crimes, adverte Antônio. "Eles não costumam fazer casos simples. Os  dois foram indiciados por tentativa de homicídio e disparo de arma de fogo, fato ocorrido na circunscrição de Itiquira-MT. Valdenir também vai responder por receptação de motocicleta subtraída da região da Vila Operária em 19 de agosto deste ano. Já Welligton, além dos outros inquéritos a seu desfavor, já responde por tentativa de homicídio", explica.

A CAUSA DA MORTE

Conforme o delegado, o laudo não foi conclusivo. "Ele pode ter sido carbonizado vivo ou após sua morte".

ALÍVIO

Jair Rosa Gomes, irmão de José Maria, esteve na delegacia durante a apresentação mostrou gratidão à polícia. "Em nome da família quero agradecer aos policiai por desvendar o caso. O crime abalou todos nós", disse. 

 

Comente:

seja o primeiro a comentar