16 de Ago. de 2017 às 15:28

Artistas rondonopolitanos vão expor no Panorama das Artes Mato-grossenses

Idealizado pela Associação Cuiabana de Belas Artes, projeto já foi realizado esse ano em Chapada dos Guimarães e em Várzea Grande

Assessoria

O Casario começou a receber essa semana as primeiras obras que serão expostas durante o Panorama das Artes Mato-grossenses, o PAM 2017 que vai acontecer entre os dias 22 e 27 de agosto. O evento vai reunir obras de sete artistas rondonopolitanos que foram produzidas especialmente para essa exposição, que visa incentivar e apresentar a produção de arte no Estado.

Idealizado pela Associação Cuiabana de Belas Artes (Acuba), o projeto já foi realizado esse ano em Chapada dos Guimarães e em Várzea Grande e agora chega a Rondonópolis, de onde segue para Barra do Garças, Alta Floresta, Sorriso e será encerrado em Cuiabá. À medida que o projeto avança, as obras que foram apresentadas nas cidades anteriores compõem também a mostra do local, até reunir todas na capital.

O PAM 2017 conta com o apoio da prefeitura municipal com a preparação do local onde vai acontecer a exposição. O secretário de Cultura do município, Humberto Campos, informou que além de viabilizar a exposição, a Prefeitura vai fazer a transporte de alunos da rede municipal e estadual até o Casario para assistirem a exposição.

Os alunos que visitam o PAM em Rondonópolis vão participar de uma atividade supervisionada onde poderão fazer uma releitura das obras usando giz de cera e papel sulfite e também vão conhecer um pouco sobre a história do Casario. O secretário Humberto Campos informou que já foram inscritas 35 escolas da rede pública e devem passar pelo PAM cerca de 500 crianças.

Foram selecionados para participar do projeto os artistas: Djalma Santos, Mando Nunes, Marlene Trouva, Sebastião Veloz, Tânia Pardo e Valcides Arantes. O artista plástico Wander Melo é convidado especial para compor o PAM Rondonópolis onde será homenageado.

O professor doutor Laudenir Antônio Gonçales é o curador da mostra. Ele afirmou que esse projeto incentiva a produção local e é uma oportunidade para os artistas. "Esses eventos provocam a integração regional e dos artistas, além de democratizar o acesso à arte e cultura com a exposição gratuita das obras. E ainda descobrimos muitos talentos", comentou o professor Laudenir Gonçalves.