7 de Fev. de 2018 às 08:02

Destituído do PPS, Percival defende chapa Ciro-Lula, candidatura ao Governo e pode mudar de partido

Gazeta MT

O ex-prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz, voltou dar as caras no cenário político. Sumido desde a derrota na corrida ao executivo municipal, em 2016, segue concedendo entrevistas, analisando as conjunturas e, indiretamente, se lançando como opção a uma nova empreitada.

Muniz tem conversado em especial com a imprensa da capital do Estado. A mais recente entrevista foi dada ao repórter Pablo Rodrigo, do Diário de Cuiabá. Tônica, uma aliança formada por partidos de oposição ao governador tucano Pedro Taques.

Muniz se considera traído pelo tucano. De fato, o fora. O resultado é o interesse em disputar nas urnas uma eleição ao Governo do Estado, desde que o aliado Otaviano Pivetta não se prontifique.

PDT

Em nível nacional, Muniz, ainda na conversa com o Diário, sugeriu a candidatura de Ciro Gomes -PDT como opção a uma esquerda prejudicada por escândalos. Para Lula, melhor opção seria apoiar o cearense. Tal costura, avalia o ex- prefeito de Rondonópolis, fortaleceria o deputado federal Ságuas Moraes -PT e o deputado estadual Zeca Viana -PDT, que passariam a serem nomes fortes para as disputas majoritárias.

Viana, presidente do diretório estadual do PDT, confirmou o convite a Percival Muniz, que recentemente sofreu uma rasteira no PPS. Por decisão da Nacional, o partido destituiu o ex-prefeito e compôs um novo comando no Estado. Entregou todos os cargos a aliados de Pedro Taques.

Em tempo: Muniz foi responsável por lançar Taques à política. Ingratidão, por assim dizer, fazem parte deste jogo.