12 de Jan. de 2017 às 07:29

Pedro Taques prega união com Judiciário para superar crise

Desembargador do Tribunal de Justiça (TJ), Rui Ramos, foi recebido no gabinete

Gazeta MT

O governador Pedro Taques  (PSDB) recebeu nesta quarta-feira (11), no Palácio Paiaguás, o desembargador do Tribunal de Justiça (TJ), Rui Ramos, na primeira visita oficial na condição de presidente do órgão.

"Entendo que os Poderes precisam trabalhar com completa independência, porém simultaneamente em conjunto, porque nosso objetivo é um só: servir o cidadão mato-grossense. Tive a honra de presenciar a posse do Rui Ramos e de agora recebê-lo em meu gabinete", destacou Taques.

O governador enalteceu a postura do ex-presidente do TJ, Paulo da Cunha, que, segundo Taques, não se furtou em lutar pela independência e harmonia do órgão com os demais Poderes. "Tenho certeza que nesta nova administração, do Rui Ramos, a relação entre o Executivo e o Judiciário vai caminhar no mesmo sentido, de melhorar a cada dia."

Em relação à situação econômica, Taques disse ao novo presidente do TJ que, na condição de governador, tem todo o interesse em resolver a situação "porque o Poder Judiciário também concretiza políticas públicas", disse. "Quando um juiz decide, está garantindo os direitos fundamentais de um cidadão, portanto o Poder Executivo, de maneira alguma, pode inviabilizar a concretização das política públicas", completou.

De acordo com o governador, a crise no Estado, reflexo da situação nacional, está sendo equacionada. "Temos certeza que nos seis primeiros meses do ano superaremos esta chuva, mas o Estado de Mato Grosso não é só o Poder Executivo, Mato Grosso é o Poder Judiciário, a Assembleia Legislativa, o Ministério Público, o Tribunal de Contas. É sobretudo o cidadão. Nós estamos trabalhando em benefício do cidadão."

Rui Ramos enfatizou que, assim como conhece a situação econômica do Brasil e de Mato Grosso, tem conhecimento dos esforços do governo para solucionar as dificuldades. "Resta ao Judiciário este compartilhamento sempre em prol da prestação de serviço, pensando sempre no jurisdicionado. Tanto do lado do Executivo como do Judiciário precisamos entregar serviços satisfatórios para cumprir nosso desiderato", pontuou.