12 de Junho de 2017 às 10:19

O que os políticos de Mato Grosso tem feito com nosso dinheiro em Brasília?

Gazeta MT

Uma lista nacional divulgada nesta semana pelo Tribunal de Contas da União detalha as execuções orçamentárias de senadores e deputados federais de todo o Brasil. São Emendas e demais articulações que possibilitam a destinação de recursos aos Estados e municípios da Federação, a utilização dos créditos consignados no Orçamento Geral da União e adicionais, visando a realização de projetos e políticas públicas. Na lista, alguns mato-grossenses figuram bem. Outros, nem tanto.

Referente ao biênio 2015/2017, a lista contempla, ao todo, 829 parlamentares, entre Senado e Câmara, detalhando a performance de cada um no quesito atuação de encaminhamento de Emendas parlamentares pagas junto ao Governo Federal.

Abaixo a lista dos parlamentares de Mato Grosso:

2º lugar: Dep. Feder. Valtenir Pereira (PMDB) - R$ 17,1 Milhões.

71º lugar: Dep. Feder. Nilson Leitão (PSDB) - R$ 11,8 Milhões.

83º lugar: Dep. Feder. Carlos Bezerra (PMDB) - R$ 10,3 Milhões.

89º lugar: Ministro Blairo Maggi (PP) - R$ 10,2 Milhões.

132º lugar: Sen. Wellington Fagundes (PR) - R$ 9,2 Milhões.

147º lugar: Dep. Feder. Fábio Garcia (PSB) - R$ 8,8 Milhões.

218º lugar: Sen. José Medeiros (PSD) - R$ 7,9 Milhões.

242º lugar: Dep. Feder. Adilton Sachetti (PSB) - R$ 7,8 Milhões.

267º lugar: Dep. Feder. Ságuas Moraes (PT) - R$ 7,1 Milhões.

318º lugar: Dep. Feder. Ezequiel Fonseca (PP) - R$ 6,9 Milhões.

394º lugar: Sen. Cidinho Santos (PR) - R$ 5,5 Milhões.

418º lugar: Dep. Feder. Victorio Galli (PSC) - R$ 4,4 Milhões.

A lista não leva em conta a data de posse ou pedido de licença dos parlamentares. Blairo Maggi, por exemplo, desde 2016 saiu do Senado rumo ao Mapa. José Medeiros e Cidinho Santos assumiram a título de suplência. O primeiro em 2015 e o segundo em 2016. Não acompanha também, a concretização dos projetos cujas Emendas foram encaminhadas.