3 de Out. de 2018 às 10:04

Imprensa da capital vaza áudio de Selma e Galli sobre dinheiro e aliança com Taques

Gazeta MT

O site da capital RDNews vazou um áudio onde a candidata ao Senado pelo PSL, ex-juíza Selma Arruda, e o atual deputado federal (candidato à reeleição) Victório Galli, do mesmo PSL, discutem sobre dinheiro de campanha e a aliança do grupo com o tucano Pedro Taques. Também é possível ouvir a voz do candidato a deputado federal Nelson Barbudo -PSL.

Na conversa gravada,a juíza revela a dificuldade em fazer o caixa da campanha de Taques. "Ninguém quer colocar um centavo naquele homem", diz sobre o fracasso do patrocínio. Quando fazia parte da coligação, a candidata a senadora contava nas reuniões da majoritária que buscava levar recurso ao partido.

Segundo a juíza, ficou acertado que os postulantes majoritários assumiriam a dívida de R$ 15 milhões. Taques teria que arrecadar R$ 7,5 milhões e os candidatos ao Senado R$ 3,250 milhões cada um. Os gastos seriam assumidos até que os partidos levantassem os recursos. O tucano até agora conseguiu arrecadar R$ 1,8 milhão dos R$ 5,6 milhões possíveis no primeiro turno.

Galli, então, a questiona sobre não ter avisado. Após gargalhada, a juíza aposentada afirma que só ficou sabendo do possível "calote" após firmarem acordo.

Galli disse que só coligou com Taques por causa da Selma, sacrificando a sua candidatura e a de Nelson Barbudo. "Eu e Barbudo que dependemos de quoeficiente (para se eleger) ficamos num risco danado". Selma, por sua vez, se isentou de culpa e disse que o problema das proporcionais era de Galli. "Aí o acordo da federal foi você meu filho, não bota a culpa e mim".

O deputado federal, no entanto, afirma que se estivesse na coligação do candidato ao governo Mauro Mendes (DEM) não teria problema. Mas não houve acordo em razão de Selma vetar o MDB por ter condenado o ex-governador Silval Barbosa, que é ex-filiado do partido. Barbudo, por sua vez, tentou apaziguar os ânimos exaltados de Selma e Galli.

Ouça aqui