13 de Ago. de 2019 às 11:34

Agentes deflagram operação na PCE, apreendem celulares e visitas são suspensas

Dezenas de profissionais da segurança pública do Estado foram designados a dar apoio a ação realizada na manhã desta terça-feira (13).

Cuiabá, MT - Daffiny Delgado

Uma operação denominada Elison Douglas, foi deflagrada dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE), na manhã desta terça-feira (13) pelos agentes penitenciários, na Capital. Pelo menos 50 profissionais realizam a ação na unidade.

A operação em homenagem ao agente morto em Lucas do Rio Verde, tem como foco diminuir as regalias dentro dos presídios e restringir a quantidade de produtos dentro das unidades prisionais, como por exemplo, celulares e outros eletrônicos, conforme nota publicada nas redes sociais pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso (Sindspen).

Informações preliminares dão conta que, dezenas de aparelhos celulares, armas artesanais, drogas, chips e uma grande quantia em dinheiro foram apreendidos na unidade.

Equipes da Polícia Militar foram designadas para dar apoio aos agentes na operação.

Familiares de presos também se encontram na frente da PCE e realizam uma manifestação, pois a operação interferiu no sistema de visitar no local.

O atual diretor da unidade Agno Santana, emitiu um comunicado interno onde fez um alerta aos profissionais da segurança para que os mesmos redobrem a atenção em relação a sua segurança e a de seus familiares.

O comunicado pretende orientar os profissionais para qualquer tipo de retaliação que possam ser feitos pelos criminosos, diante da ação realizada na PCE.

"Venho através deste informar a todos, que nesta data Deflagramos a Operação Agente Elisson Douglas, sabendo-se que com isso, devemos redobrar nossas atenções principalmente para segurança nossa e de nossos familiares. Sendo assim, caso se sinta ameaçados ou observem algo suspeito, entre em contato com nossa base e de imediato com o 190 da PM, os mesmo estarão de forma reforçada neste período, dando suporte a qualquer evento negativo nas ruas, principalmente com os Agentes de segurança", diz trecho de nota.

De acordo com as investigações sobre a morte de Elison Douglas, a ordem para executar o agente teria saído de dentro da PCE, por membros de facções criminosas.

Integra da nota do Sindspen

Posicionamento do Sindspen-MT sobre a Operação Agente Elison Douglas, deflagrada na PCE

Tendo em vista a Operação Agente Elison Douglas, deflagrada na noite de ontem (13), na PCE, a Presidente em substituição do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), Jacira Maria da Costa Silva, esclarece que:

A operação é um pedido dos servidores do sistema penitenciário, por meio do sindicato á Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT), tendo em vista o crescimento do crime organizado dentro de unidades penais, que culminou no assassinato do agente penitenciário de Lucas do Rio Verde, Elison Douglas no mês de maio.

A operação tem como foco diminuir as regalias dentro dos presídios e restringir a quantidade de produtos dentro das unidades prisionais, ou seja, a quantidade de materiais em excesso que gera superlotação no ambiente. “Precisamos diminuir os excessos, mas respeitaremos os direitos deles”, frisa a presidente.

O que está sendo revisto é evitar que estas unidades que foram criadas aumentem a lotação, sendo que a retirada desses materiais ajudará a ter um ambiente mais arejado e com mais de ventilação.

“Teremos alterações na legislação e essas mudanças vão trazer insatisfações, pois agora teremos regramento dos excessos que dificultam a revista e dificulta também a higiene no ambiente carcerário. Tudo vai ser normatizado e solicitamos aos servidores que fiquem de sobreaviso para possíveis retaliações”, esclarece.

A presidente agradece aos guerreiros que estão imbuídos nesse momento no front dessa missão. “Temos muita satisfação em ver que hoje os servidores estão capacitados e podem estar fazendo esse trabalho com profissionalismo e dentro da legalidade, é uma honra para nós dentro, das forças da segurança pública, dar uma resposta à sociedade que pode dormir tranquila.

A operação sob o comando do agente penitenciário e atual diretor da unidade, Agno Santana, profissional extremamente qualificado, que já foi diretor em Rondonópolis e hoje coordena o Grupo de Intervenção Rápida (GIR), sendo considerado dentro do meio operacional, o ícone do Sistema Penitenciário Mato-grossense. “Agradecemos a toda dedicação e compromisso que o Agno tem demonstrado em toda sua vida funcional”.

Essa operação foi batizada em homenagem ao Elison Douglas e a Penitenciária Central foi à escolhida como piloto dessa operação por ela ser o coração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso. “Esse nome nos lembra a retidão e dignidade que o Douglas sentia ao vestir sua farda para ir trabalhar, sendo que esta também é uma forma de homenagear e honrar sua memória pelos bons exemplos que deixou e nos orgulha seguir”.