13 de Set. de 2017 às 07:10

Mais de 80 armas de fogo são apreendidas pela Polícia Militar em Rondonópolis

29 simulacros (armas de brinquedo) também foram retirados de circulação

RENATA RAMOS

É um poder de fogo em mãos erradas e que muitas vezes leva pânico para as ruas. Armas que não estão somente na disputa pelo tráfico de drogas, mas que também são usadas para fazer assaltos, arrastões, e tirar a vida de pessoas em grandes cidades como Rondonópolis. 

A última vítima dessa violência foi Miguel Pereira de Souza, 79 anos, assassinado dentro da própria casa durante uma tentativa de assalto. A filha dele também foi baleada e teve que passar por cirurgia. A ocorrência foi registrada como latrocínio - roubo seguido de morte.

Do outro lado estão às forças de segurança na batalha contra o crime. A Polícia Civil conseguiu prender dois e apreender três suspeitos de participação na ação criminosa. A arma usada para atirar contra na vítima também foi apreendida.

O trabalho de abordagem realizado pela Polícia Militar também tem surtido efeito. Segundo dados do 4º Comando Regional, de janeiro a agosto deste ano, 84 armas de fogo foram apreendidas em Rondonópolis Desse total, 49 revólveres, 13 pistolas, 18 espingardas  e 4 armas artesanais, além de 29 simulacros.

Os números apontam ainda que nos onze primeiros dias de setembro 8 armas foram apreendidas pelo 5° Batalhão em conjunto com a Força Tática, grupo especializado da PM. A 14ª Companhia Independente possui hoje 79 policiais, divididos em três pelotões sendo: Patrulhamento Tático, Moto Patrulhamento Tático e Pelotão de Choque.

De acordo com código penal quem for preso por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito a pena é de 3 a seis anos de reclusão além de multa. Para o Comércio ilegal de arma de fogo a pena é de 4 a 8 anos, mais multa.