10 de Out. de 2019 às 08:40

Vereadores votam contra lei que protegeria mulheres

Gazeta MT

Depois de virar notícia por conta de uma pichação sobre um grafite que homenageava a jovem ativista ambiental Greta Thunberg, que despertou reações por todo o país, a cidade de Sinop volta à ser notícia por conta do voto contrário de oito vereadores da cidade à um projeto de lei que visava proteger mulheres que se sentirem ameaçadas em bares, casas noturnas e restaurantes da cidade, que seriam obrigados a adotarem medidas para ajudar essas mulheres. Diante da negativa dos vereadores, o projeto de lei foi arquivado.

Em caso de aprovado, os estabelecimentos comerciais de Sinop teriam que ofertar auxílio às mulheres, como acompanhar as mesmas até o seu carro, táxi ou Uber, assim como informar por meio de cartazes que essas mulheres poderão contar com o apoio dos funcionários do dito estabelecimento, que seriam capacitados para ofertar a ajuda.

Iniciativas semelhantes já existem pelo país afora e, como todas as medidas que visam combater a violência contra a mulher, é bem vinda, pois é inadmissível que mulheres sofram e até morram no mundo de hoje por conta de alguns homens machistas, que não se atualizam e se consideram donos das mulheres, a ponto de se darem ao direito de espancar e até matar essas mulheres quando de alguma forma são contrariados ou confrontados. Quantas vezes não ouvimos notícias de homens que mataram suas ex por não aceitarem o fim do relacionamento e outras barbaridades?

Então, pegou muito mal a postura dos vereadores da cidade de Sinop, que fica na região norte do estado, que ao se recusarem a votar no projeto, claramente se posicionam ao lado do agressor, não ouvindo o clamor popular que vem de todas as partes do mundo pedindo o fim da violência contra as mulheres.