13 de Nov. de 2017 às 10:04

Desempenho do frango vivo na segunda semana de novembro

O mercado segue firme. E o preço, estável

AviSite

Tanto no interior paulista como em Minas Gerais as ofertas de aves vivas continuam extremamente ajustadas à demanda, sem excedentes. Mas isso não tem sido suficiente para elevar a cotação vigente, que permanece inalterada em R$2,70/kg desde 23 de outubro passado, portanto, há três semanas.

O que agora força o alongamento dessa estabilidade é a fraca demanda, não a oferta - que, segundo dados do próprio setor, recuou em relação a meses anteriores. E uma indicação nesse sentido vem dos preços do frango abatido comercializado no atacado da cidade de São Paulo.

Um mês atrás, nesta mesma época, a ave abatida atingia a maior cotação já registrada em 2017 (base: frango resfriado, no Grande Atacado paulistano). E embora alcançasse apenas 80% do valor médio de outubro de 2016, registrou no mês o melhor desempenho do ano.

Isso não vai se repetir em novembro. Aliás, pela primeira vez desde agosto passado, o pico de preços será inferior ao pico observado no mês anterior. Porque, sem ter atingido a cotação de outubro último, desde a semana passada o frango abatido vem registrando pequenos, mas contínuos, decréscimos de preço.

É verdade que em novembro o mercado ainda pode apresentar surpresas, pois, por exemplo, parte dos trabalhadores empregados recebe no mês a primeira parcela do 13º salário. Mas, tudo indica, o preço médio do frango abatido dificilmente repetirá o bom desempenho do mês passado.

Quanto ao frango vivo prevalece a tendência de manutenção da atual cotação, sem qualquer nova alteração no restante do mês. Como, aliás, ocorreu em novembro de 2016.