30 de Junho de 2018 às 08:00

Pátio rebate ataques da Câmara: “Quero fazer justiça social”

Vereadores firmaram em Cartório compromisso de não aprovar novo modelo de cobrança proposto pelo Poder Executivo

Robson Morais

O prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio -SD, rebateu o duro golpe sofrido na última semana, quando parte da Câmara foi contrária ao novo modelo de cobrança de IPATU proposto pelo Poder Executivo municipal e encaminhado ao Legislativo na última semana. Um documento chegou a ser protocolado em cartório pelos vereadores, atestando o compromisso de não aumento do imposto.

Ocorre que, na versão da Prefeitura, não se trata de aumento, mas, sim, de justiça social. E este foi o tom dado por Pátio em sua reposta. "Será que é justo pessoas que moram em condomínios aqui na cidade, de bom padrão, que ganham bem, viverem sem pagar imposto enquanto moradores de outros bairros continuam pagando?", questionou o prefeito.  "Tem gente rica que não paga e enquanto isso a dona Maria, que mora no Jardim das Flores, tem que pagar o IPTU", continuou Pátio. "Eu fico triste com estes vereadores. Fico triste com a Câmara. O que eu quero é justiça social e tributária".

O novo modelo de cobrança apresentado pelo prefeito à Câmara prevê uma nova planta de criação do IPTU em diversos loteamentos e bairros. Parte contrária da Casa de Leis afirma que, com a aprovação, muitas destas localidades passarão a pagar até quatro vezes mais em relação ao valor pago atualmente. Os vereadores também questionam o argumento de justiça social, levando em conta edificações em áreas menos favorecidas, não regularizadas na Prefeitura e reconhecidas nos autos apenas como terreno, situação que só seria devidamente solucionada com a atualização do cadastro imobiliário do município.

Para conseguir aprovar o projeto do IPTU, o prefeito Zé Carlos do Pátio (SD) precisa de 14 votos. 

Termo de compromisso firmado entre os vareadores. Foto: Roberto Nunes /A Tribuna