14 de Nov. de 2017 às 07:27

Crianças são transferidas e equipe fecha definitivamente as portas da UTI Pediátrica

Governo realizou o repasse de R$ 860 mil reais. Atraso é de quase R$ 5 milhões

RENATA RAMOS

Aparelhos desligados, luzes apagadas, portas fechadas, resultado: lagrimas, sentimento de tristeza e o desabafo de uma equipe acostumada a cuidar de pequenos pacientes, e junto com a família deles, ter a sensação de dias melhores.  Assim, foi o último dia de trabalho da equipe de profissionais da UTI Pediátrica da Santa Casa de Misericórdia.Equipe de profissionais se emocionam com o fechamento da UTI Pediátrica. Foto: Renata Ramos/ GazetaMT

"Ficamos com o coração entristecido com essa situação. Quantas crianças foram atendidas aqui e deixaram os leitos caminhando com as próprias pernas. Também sou mãe e me coloco no lugar de muitas delas que passaram aqui e ficaram ansiosas pela melhora de saúde dos filhos. Também penso em quem pode precisar de atendimento e agora não terá mais" desabafou Josi Tremes, técnica em enfermagem.

Leitos estão vazios após transferência de duas crianças. Foto: Renata Ramos/ GazetaMTO fechamento definitivo da Unidade em funcionamento na Santa Casa de Rondonópolis aconteceu nesta segunda-feira (13), após a transferência de dois pacientes, uma criança de sete meses e outra de três anos, que ainda estavam na Unidade de Terapia Intensiva. Eles foram transferidos para a Unidade Neonatal.

"Nós tivemos que fazer a transferência dessas crianças para outro espaço, ou seja, a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Por lá, realizamos um trabalho de adequação do espaço até que elas tenham condições de serem transferidas para outra unidade pediátrica do Estado. Neste local (UTI Pediátrica) não tínhamos mais condições de mantê-las por falta de profissionais" explicou Eder de Sousa - Superintendente da Santa Casa.

Com capacidade para atender 10 crianças, UTI Pediátrica foi inaugurada em agosto do ano passado. Um ano e três meses depois, problemas na saúde, falta de dinheiro e o resultado pode ser ainda pior com o fechamento de leitos da UTI Adulta.

"Precisamos diminuir mais um leito na Unidade Adulto por falta de recursos financeiros. Eram 11 leitos, passamos para 10 e oito já estão ocupados" disse Sousa.  

Valor depositado

Na semana passada a direção da unidade já havia comunicado que não receberia mais pacientes devido à falta de repasses do governo do estado referentes aos últimos quatro meses. Ontem (13), cerca de R$ 850 mil reais foram depositados na conta do hospital referentes ao mês de julho.

Segundo o vice-diretor presidente, Kemper Carlos Pereira, é muito otimismo achar que o restante da dívida possa ser depositado até o final do mês conforme informações do governo do estado.

"A conversa que tivemos neste período de paralisação o secretário da Casa Civil, é que talvez, possamos receber o restante de julho. É duro pensar que vamos ficar alguns dias nesta situação. Desde 2015 estamos alertando sobre essa dificuldade, agora, chegamos ao extremo", afirmou o Vice-diretor presidente da Santa Casa.

Enquanto a questão financeira não é resolvida a imagem que fica é de uma estrutura exemplar, mas com leitos vazios.