8 de Out. de 2019 às 10:28

Riva diz que Sebastião Rezende recebia dinheiro em troca de voto para Mesa Diretora

Gazeta MT

O ex-deputado José Riva, no afã de ter sua delação premiada aprovada, decidiu abrir sua caixa preta e não para de fazer estrago no currículo de políticos do estado. Um nome que tem passado quase despercebido pela mídia estadual é o do pastor evangélico e engenheiro civil Sebastião Rezende, do PSC, eleito pela primeira vez em 2002, e que desde 2003, segundo Riva, teria vendido o seu voto para a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

Segundo Riva, Sebastião Rezende teria recebido entre R$ 200 mil e R$ 250 mil para votar no grupo que administrou a AL entre 2003 e 2005; R$ 250 mil para votar na Mesa que esteve à frente da AL de 2005 a 2007 e o mesmo valor para votar na Mesa de 2007 a 2009; R$ 300 a R$ 350 mil para votar na Mesa para o exercício de 2009 a 2011 e R$ 400 mil para votar na Mesa de 2011 a 2013, e de R$ 400 a R$ 500 mil para votar na Mesa Diretora que administrou a AL de 2013 a 2015, o que teria rendido entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões.

Sem querer antecipar nenhum juízo de valor, pois Riva ainda precisa provar o que está dizendo, o Buxixo entende que essa história tem que ser muito bem esclarecida, pois a pessoa não pode posar de moralista em público e receber propina por baixo do pano. Ainda que o voto seja do deputado, o dinheiro usado para pagar pelos votos vendidos é resultado do desvio de recursos públicos, é corrupção!

Vamos acompanhar com atenção...