23 de Maio de 2017 às 16:11

Delegacia de Defesa da Mulher prende homem suspeito de aliciar menores de idade em Várzea Grande

João Sidney Martins, 46 anos foi autuado em flagrante, em local que havia combinado com um criança

Gazeta MT

Um homem suspeito de aliciar mais de 20 crianças e adolescentes via redes sociais foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na manhã desta terça-feira (23.05), em ação da Delegacia Especializada de Defesa de Mulher Criança e Idoso de Várzea Grande, com apoio de policiais da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF-VG).

João Sidney Martins, 46, foi autuado em flagrante pelo crime previsto no artigo 241-D do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) - Aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato libidinoso.

A comunicação do fato foi feita pelo pai de uma menina de 08 anos, que na segunda-feira (22), procurou  a Polícia Civil para denunciar o aliciamento feito por um homem que estava enviando mensagem no aparelho celular da filha, via aplicativo Whatsapp.

Nas mensagens, João Sidney havia marcado um encontro para a manhã desta terça-feira (23), em frente ao supermercado Assaí, em Várzea Grande. Ainda no bate papo, o suspeito dizia para a menina ir ao encontro de saia e sem calcinha com intuito de manter relação sexual com a criança.

O criminoso também pedia para que a menina ingerisse anticoncepcional da sua mãe, assim eles poderiam ter relação sem preservativo. Diante dos bárbaros relatos, os policiais civis da Especializada montaram vigilância e surpreenderam João Sidney, no local combinado com a menina.

Durante a abordagem, o suspeito assumiu a prática criminosa. Ao entregar seu aparelho celular, os investigadores constataram que ele mantinha conversa com mais de 20 vítimas, entre crianças e adolescentes, através dos aplicativos WhatsApp e do messenger do Facebook.

“Ele escolhia as vítimas pelo Facebook, sempre crianças e adolescentes. Adicionava e começava a conversar no Messenger, pegava o telefone e aí passava para o WhatsApp, até marcar encontro. No celular, ele conversava com várias crianças nas redes sociais. Essa vítima, o pai conseguiu interceptar antes. Agora vamos encaminhar os aparelhos celulares dele à perícia”, disse o delegado, Cláudio Alvares Sant'Ana.

Interrogado pelo delegado, o marceneiro confessou que procurava e escolhia as vítimas pelo perfil através das redes sociais, em seguida adicionava, iniciando conversas visando o seu proveito sexual.

Depois de autuado em flagrante, o preso será encaminhado para uma unidade prisional de Várzea Grande, ficando à disposição da Justiça.