7 de Maio de 2019 às 14:16

W.F. protesta contra corte de Bolsonaro, mas deve emplacar comissionado no Dnit

Senador usou as redes sociais para se manifestar sobre corte de 30% na Educação

Gazeta MT

O senador Wellington Fagundes -PR utilizou suas redes sociais para se opor ao corte de 30% da Educação anunciado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro -PSL. Em um vídeo postado, ele disse que a medida "chega a ser um absurdo".

Wellington relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias da União em 2017. No texto final texto final, na hipótese de contingenciamento, os cortes não atingiriam as áreas de educação e saúde. Pelo contrário: pediu que os recursos orçamentários para essas duas áreas fossem corrigidos pelo IPCA.

"A educação representa o futuro da nação e a saúde é que cuida da vida das pessoas", diz no vídeo. Wellington lembrou que o próprio presidente da República prometeu investir no ensino básico, também vítima do chamado contingenciamento de gastos do atual governo.

Dnit

Longe da Educação, no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Wellington tende se manter recuado, ao menos num primeiro momento. Nada de discurso de ataque.

Isso porque o senador deve indicar um nome ao Dnit. O departamento tem, historicamente, nomeados seus. Fagundes é um dos parlamentares mato-grossenses que incluíram em uma lista de nomes alguns candidatos a cargos comissionados cedidos pelo presidente da República.