11 de Abril de 2019 às 08:40

"Renovação" política de Selma só durou três meses

Gazeta MT

Quem diria que a juíza apelidada pela imprensa nacional de "Moro de saia", Selma Arruda, duraria tão pouco em sua cadeira no Senado. Bolsonarista, defensora da tão mencionada "renovação política", acabou tendo o mandato cassado por uma prática velha: caixa 2. Acabou cassada por unanimidade. 

Selma foi a senadora eleita mais bem votada em Mato Grosso, um dos Estados mais conservadores do Brasil. Tida como linha dura, a juíza se aproveitou de fama recente para cravar vitória nas urnas. Agora, após  a derrota, terá de recorrer da decisão do Tribunal Regional Eleitoral -TRE.

Se não conseguir, tudo bem. É como dizem: faz "arminha" que passa.