28 de Fev. de 2018 às 10:00

Fávaro se diz pré-candidato ao Senado e “fator Sachetti” será decisivo

Após a desistência de Blairo Maggi -PP, ele é mais um dos que enxergaram caminho aberto

Robson Morais

Em sua página oficial em uma rede social, o vice-governador do Estado, Carlos Fávaro -PSD, confirmou intenção de concorrer ao Senado nas eleições deste ano. Após a desistência de Blairo Maggi -PP, ele é mais um dos que enxergaram caminho aberto.

Até então, antes da desistência do atual ministro, Fávaro se mantinha discreto. Agora, segundo ele, há um espaço vago a ser ocupado. "Com o anúncio desta segunda-feira [a desistência de Maggi], o PSD definiu que pode ocupar esse espaço e eu me sinto preparado para ser pré-candidato ao Senado", disse.

Em sua antecipação, Fávaro já sinaliza, ainda, contar com o apoio do ministro para oficializar sua candidatura. Deu indireta o vice. "Quando assumimos o PSD, em 2015, o ministro Blairo Maggi foi uma das lideranças que nos deu apoio para construirmos um novo partido. Apoio este que sempre foi recíproco. Estávamos caminhando juntos com o ministro para a reeleição dele a senador", afirmou.

É neste ponto de história que entra o "fator Sachetti". Na atual costura política, a vaga de Maggi já tem sucessor natural. O deputado federal Adilton Sachetti deverá oficializar sua candidatura. Padrinho e compadre, Maggi deverá atuar forte em prol do amigo.

Entre o vice e o deputado, Maggi tem escolha certa. Até o PP já estaria de braços abertos para receber o deputado. Outro ponto importante entre um pré-candidato e outro é o eleitorado. Duas representações rurais dificilmente se enfrentariam. Fávaro e Sachetti possuem força junto aos produtores rurais do Estado e, consequentemente, rachariam voto.

Além de Blairo Maggi, também devem desistir do Senado Cidinho Santos -PR e José Medeiros -Pode. O primeiro sai da política, o segundo tenta a Câmara.