11 de Junho de 2019 às 14:51

Membro da FMC Ello responsável pela coleta do dinheiro do jogo do bicho se entrega no GCCO

Ele é um dos 33 alvos da operação Mantus deflagrada no último dia 29 de maio, em Mato Grosso.

Cuiabá, MT - Daffiny Delgado

Ronaldo Guilherme Lisboa dos Santos, apontado por integrar a organização criminosa FMC Ello se apresentou na Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) na manhã desta terça-feira (11), em Cuiabá.

Ele é um dos 33 alvos da operação Mantus deflagrada no último dia 29 de maio, em Mato Grosso. As informações são de que pelo menos três ainda estão foragidos.

A ação realizada pelo GCCO em conjunto com a Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), desarticulou duas organizações criminosas ligadas ao jogo do bicho.

De acordo com as investigações, Ronaldo seria um dos responsáveis por realizar a coleta de valores e realizar os pagamentos dos prêmios aos jogadores.

A organização FMC Ello tem como líder o empresário Frederico Muller Coutinho, que também foi preso na operação.

Outra organização alvo da operação foi a Colibri, que teria como lideres João Arcanjo Ribeiro e o seu genro, Giovanni Zem Rodrigues.

Mantus

As investigações iniciaram em agosto de 2017, após a polícia receber denúncias sobre a contravenção penal denominada “Jogo do Bicho”.

63 mandados judiciais, sendo 33 de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos na manhã desta quarta-feira.

As ordens judiciais são cumpridas em Cuiabá, Várzea Grande e em mais 5 cidades do interior do Estado e expedidas pelo juiz da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, Jorge Luiz Tadeu.

Foram decretados os bloqueios de contas e investimentos em nome dos investigados, bem como houve o sequestro de ao menos três prédios vinculados aos crimes investigados.

Os suspeitos vão responder pelo crime de organização criminosa, lavagem de dinheiro, contravenção penal do jogo do bicho e extorsão mediante sequestro, cujas penas somadas ultrapassam 30 anos.