4 de Dez. de 2017 às 08:37

Vendas de combustíveis no Brasil em crescem 4,4% puxadas por diesel e etanol

O total vendido no país ainda registrou alta no acumulado de 2017 pela primeira vez, segundo dados da ANP

Redação com Reuters

As vendas de combustíveis no Brasil em outubro cresceram 4,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, para 75 milhões de barris, impulsionadas pela comercialização de diesel e de etanol, informou na última quinta-feira (30) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O total vendido no país ainda registrou alta no acumulado de 2017 pela primeira vez, segundo dados da ANP, numa sinalização positiva para o setor que vem registrando quedas anuais nos últimos dois anos. A variação do total vendido de janeiro a outubro foi de 0,2% ante o mesmo período de 2016.

As vendas de combustíveis no mês passado avançaram 1,7% ante setembro, quando o total comercializado no país haviam caído 3% ante o mês anterior.

O avanço das vendas em outubro aconteceu apesar dos preços mais altos dos combustíveis no Brasil, especialmente diesel e gasolina, após o impacto de alta no PIS/Cofins nos combustíveis e com a Petrobras repassando avanços das cotações internacionais.

A ANP não divulgou comentários sobre as vendas.

As vendas de diesel, principal combustível vendido no Brasil, cresceram 6%, para 30,9 milhões de barris. Na comparação com setembro, houve alta de 1,1%.

No acumulado do ano, as vendas de diesel subiram 0,4%.

As vendas de gasolina, por sua vez, caíram 2,3% na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 22,25 milhões de barris, enquanto subiram 1% ante setembro.

No acumulado do ano, as vendas de gasolina apresentam alta de 5% até outubro.

Já as vendas de etanol hidratado em outubro subiram 14,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado e cresceram 4,8% ante o mês anterior, com o biocombustível mais competitivo e ganhando mercado da gasolina, cujos preços dispararam.

No acumulado do ano, entretanto, as vendas de etanol hidratado, que abastece os veículos flex, ainda apresentam queda de 13%.