6 de Nov. de 2018 às 08:31

CPI vai apurar possíveis irregulares administrativas cometidas pelo prefeito Ná

De acordo com uma denúncia feita à Câmara, a prefeitura teria adquirido "mata-burros", no valor de R$ 59 mil, sem processo licitatório

Rondonópolis-MT/Renata Ramos

Uma segunda-feira (05) agitada na cidade de Pedra Preta, a 21Km de Rondonópolis. Durante a sessão na Câmara Municipal, os vereadores aceitaram denuncia do Ministério Público e instauraram uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar atos de improbidade administrativa que teriam sido cometidos pelo prefeito Juvenal Pereira Brito, o Ná (MDB). Apoiadores do prefeito, oposição e imprensa acompanharam toda a movimentação do plenário.

De acordo com uma denúncia feita à Câmara, a prefeitura teria adquirido "mata-burros", no valor aproximado de R$ 59 mil, sem processo licitatório. A carreta que transportava as estruturas de ferros está detida na delegacia do município.

Os vereadores também avaliaram a possibilidade de afastamento do prefeito. No entanto, o gestor municipal continua no mandato até o final da investigação. A comissão tem o prazo de 90 dias para apresentar a denuncia e uma nova votação para cassação do mandato do prefeito Ná de Pedra Preta.

ENTENDA O CASO

De acordo com o vereador Hélio de Farias (PSDB), o prefeito teria adquirido vinte mata-burros de uma empresa de Goiânia (GO), que seriam usados nas estradas do município na zona rural, mas não teria atentado para o devido processo legal. "O prefeito comprou os mata-burros sem licitação, que foram entregues no pátio de obras da prefeitura. A princípio, quando descobrimos o caso, ele tentou negar e disse que estaria apenas guardando os mesmos para uma empresa, mas depois voltou atrás e disse que iria aderir a uma ata de compra de outro município. Mas assim que nós vereadores conseguimos uma cópia da Nota Fiscal de compra dos mata-burros no nome da nossa Prefeitura, ele tentou se desfazer deles, vendendo abaixo do preço para um construtor de pontes de Rondonópolis", declarou o vereador ao jornal a Tribuna.