20 de Ago. de 2018 às 14:33

Desocupação segue estável acima de 8% em MT

Estado apresentou quarta menor taxa do país no trimestre atrás de SC, MS e RS

Gazeta MT

Mato Grosso apresentou a quarta menor taxa de desocupação do país no trimestre, atrás de Santa Catarina (6,5%), Mato Grosso do Sul (7,6%) e Rio Grande do Sul (8,3%).

O termo "desocupação" engloba os profissionais que perderam o emprego e estão em busca de uma nova ocupação e também de pessoas que nunca trabalharam, mas atualmente procuram uma vaga no mercado de trabalho (com ou sem carteira assinada).

Segundo a PNAD Contínua, houve um crescimento da população ocupada em Mato Grosso, que passou de 1,53 milhão no 1° trimestre para 1,57 milhão de trabalhadores ocupados no 2° trimestre de 2018, variação positiva de 2,5%. Já em relação ao mesmo trimestre do ano passado, o crescimento foi de 4,6%.

Em relação ao rendimento médio real habitual das pessoas ocupadas no estado, em todos os trabalhos (formais ou informais), o valor ficou em R$ 2,18 mil, um decréscimo de 4,3% em relação ao trimestre anterior (R$ 2,28 mil) e estável em relação ao 2° trimestre de 2017. Em Cuiabá, o rendimento médio mensal no 2° trimestre foi de R$ 2,58 mil (estável tanto em relação ao trimestre anterior quanto ao mesmo trimestre do ano passado).

Os dados com os resultados do 2° trimestre de 2018 (abril/maio/junho) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua para Cuiabá e Mato Grosso foram divulgados nesta quinta (16), pela Unidade Estadual do IBGE. Renata Bortoletto, analista do IBGE, apresentou os resultados regionais. "Destacamos que houve estabilidade nas taxas de desocupação para o estado e para a Capital", afirmou.