9 de Jan. de 2019 às 16:55

Prefeitura inicia tapa buraco em principais corredores de escoamento de safra

Os trabalhos estão sendo realizados em estradas estaduais, com autorização da Sinfra-MT

Redação com assessoria

Serviço de tapa buraco na MT-130 é realizado com autorização da Sinfra-MT. (Foto. divulgação)A safra 2018/2019 em Primavera do Leste (MT) será escoada de maneira tranquila, sem os problemas em estradas como nos anos anteriores, portanto, sem causar preocupação para os produtores rurais. Isso porque a Prefeitura de Primavera do Leste, após fazer manutenção nas estradas não pavimentadas em 2018, iniciou nesta quarta-feira (9) o serviço de tapa buraco na MT-130. Ao todo três rodovias serão contempladas em janeiro.

Para que o município possa atuar na manutenção de estradas estaduais, o Prefeito Léo Bortolin precisou solicitar permissão ao governo. Há quatro meses o prefeito tentou um Termo de Cooperação junto a Secretaria de Infraestrutura de Mato Grosso (Sinfra-MT), mas somente com a troca de gestão houve a pactuação, publicada no Diário Oficial do Estado no último dia 8.

O Termo prevê parceria entre a Prefeitura e a Sinfra-MT, em regime de mútua colaboração, porém, sem transferência de recursos financeiros. Ou seja, o município de Primavera do Leste, para oferecer condições vai se responsabilizar com todos os custos e material para a manutenção, através da Secretaria Municipal de Infraestrutura. Estima-se um investimento de aproximadamente R$ 50 mil, entre material, óleo diesel e mão de obra.

Está autorizado somente o serviço de tapa buracos, com a utilização PMF (pré misturado a frio), nos seguintes trechos: 42 km da MT-486 (rodovia que liga a MT-130 com a Fazenda Itaquerê); 26 km da MT-448, (rodovia que liga Primavera do Leste à Vila União); e 50 km a partir do trevo da MT-130 com a BR 070, sentido Paranatinga. Primavera do Leste tem a permissão de um ano para realizar os trabalhos.

O prefeito Léo Bortolin explica que a iniciativa de buscar essa parceria com o governo do Estado "é por entender que essas rodovias são principais corredores de escoamento da produção e, além disso, de grande movimentação de cidadãos comuns que passam diariamente por elas".