16 de Out. de 2018 às 06:00

Vacina contra hepatite A tem alto índice de proteção na primeira dose

Fabricantes da vacina orientam que seja aplicado uma segunda dose seis meses após a primeira

Gazeta MT

m estudo realizado entre os anos de 2015 e 2017, em Primavera do Leste, pelos pesquisadores Wagner Brito, Rode Martinho, Eduardo Junior e Dr. Francisco Souto - sobre a efetividade da vacina contra o vírus da Hepatite A (HAV) - demostrou uma alta taxa de positividade para o anticorpo de proteção anti-HAV em crianças vacinadas com apenas uma dose desse imunológico.

Foram investigadas 252 crianças vacinadas entre 2014 a 2016. A pesquisa identifica que 93,6% das crianças desenvolvem proteção com apenas uma dose da vacina. Apenas 16 crianças não apresentavam anti-HAV positivo. Por questões ética e compromisso dos pesquisadores, foram disponibilizadas doses de reforço às crianças envolvidas na pesquisa.

Fabricantes da vacina orientam que seja aplicado uma segunda dose seis meses após a primeira. No entanto, o Ministério da Saúde (MS), seguindo o exemplo da Argentina, e levando em consideração estudos de imunogenicidade - nos quais demonstram que mais de 90% das crianças apresentam títulos de anticorpos protetores após a aplicação de uma única dose da vacina - disponibilizou em suas salas de vacinas apenas uma dose. Além disso, o MS salienta que a disponibilização de uma única dose tornaria o programa de vacinação contra a hepatite A ainda mais econômico, visto que esta vacina é cara e ainda não é produzida no Brasil.

Segundo a Coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Primavera do Leste, Mônia Maia de Lima, a vacinação universal contra a Hepatite A começou a ser aplicada nos moradores da cidade em agosto de 2014 e vem apresentando uma cobertura vacinal significativa (2015 - 101,53%; 2016 - 70,88% e 2017 - 96,41%). A coordenadora ressalta que, desde a implantação da vacina, não foram notificados casos da doença no município.

Os resultados da pesquisa foram publicados em Revista Científica indexada internacionalmente em abril de 2018: The Brazilian Journal of Infectious Diseases:"Initial evaluation of universal immunization with a single dose against hepatitis A virus in Central Brazil".

Um estudo de seguimento está sendo planejado, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, para continuar avaliando as crianças nos próximos anos, com o intuito de verificar se a proteção é duradoura ou se será necessária dose de reforço.

O Secretário de Saúde Advanilson Rosa Sampaio explica que esse tipo de estudo é de grande importância para a saúde pública, uma vez que a vacinação contra a Hepatite A começou recentemente no país. Ele reforça que os indicadores da doença devem ser monitorados, especialmente sua incidência, bem como as coberturas vacinais.