14 de Nov. de 2017 às 09:05

Agricultores sofrem com a redução do Programa de Aquisição de Alimentos

O Governo Federal tem reduzido as verbas do PAA ano a ano. Tem agricultor familiar que já perdeu a produção por falta de comprador

Globo Rural

Quem lutou uma vida inteira por um pedacinho de terra, aproveita cada canto dela pra tirar o sustento da família. Pelo menos é assim que vive o produtor Agostinho Alves de Sousa. Em um assentamento em Planaltina, a 43 quilômetros de Brasília, ele cultiva alface, milho, mandioca, cebolinha. Agostinho só conseguiu produzir depois que entrou para o Programa de Aquisição de Alimentos, mais conhecido como PAA. "O PAA nos ajudou muito nessa questão, de entrar no mercado", comenta.

Criado em 2003 pelo o governo federal, o PAA compra a produção de agricultores familiares e doa para asilos, creches e entidades sem fins lucrativos. Cada produtor pode vender no máximo oito mil reais por ano.

O problema é que a verba destinada ao programa vem caindo ao longo dos anos. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, em 2012, no auge do PAA, o governo liberou R$ 839 milhões para a compra de alimentos. Em 2016 foram R$ 439 milhões. Neste ano, R$ 150 milhões, uma redução de 66% só neste último ano.

Agostinho sentiu o corte na pele. No ano passado, em seis meses, ele atingiu o limite de vendas para o governo. Já nesta safra... "Este ano eu só consegui vender R$ 3.500", declara.

A gente vê no campo o resultado da falta de dinheiro para o programa. Produtos que passam do ponto de colheita, já que só as feiras da região não são suficientes pra escoar toda plantação.