16 de Maio de 2019 às 11:13

Defensor de Bolsonaro, Medeiros diz que atos pela Educação são factoides da esquerda

Gazeta MT

O vice-líder do Governo Bolsonaro, deputado federal José Medeiros (Podemos), afirmou que os protestos pelo País em defesa de recursos para Educação estão baseados em factoides criados pela esquerda.

À imprensa da capital, o parlamentar disse que Bolsonaro "contingenciou" valores por não ter recursos em caixa. "Eu enxergo que no Governo Dilma teve corte no orçamento da Educação, já nos governos Lula e Fernando Henrique tiveram contingenciamentos. Fazemos contingenciamento direto na nossa casa quando falta dinheiro. Acontece. Mas é natural que esse bando de velhaco reaja. As universidades estão aparelhadas", afirmou. "Então, estão criando um factoide, porque não foi cortado absolutamente nada. O que foi dito é que não vamos gastar o que estava previsto, porque não tem dinheiro. Mas esse povo nasceu no País fazendo essas movimentações. Pegam um negócio, mentem e vão para as ruas. Os alunos achando que estão sendo prejudicados, acompanham, servindo de massa de manobra", completou.

O deputado afirmou que Bolsonaro decidiu contingenciar para não cometer as chamadas pedaladas fiscais. E lembrou que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foi cassada por conta do expediente.

Por fim, disse que Bolsonaro não deve mudar de posição sobre o assunto por conta da repercussão dos protestos. Em Mato Grosso, houve retenção de R$ 31,8 milhões do orçamento do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT). Já a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) perdeu R$ 34 milhões.