10 de Set. de 2019 às 08:56

Combate da Hanseníase em Cuiabá é destacado em rede nacional

O médico Dráuzio Varella esteve recentemente na capital e gravou parte do programa com uma médica da rede.

Gazeta MT

As práticas ao combate à Hanseníase em Cuiabá chamaram a atenção do médico Dráuzio Varella, que apresenta um quadro sobre saúde no programa Fantástico, que vai ao ar todos os domingos na Rede Globo de Televisão. Ele esteve em Cuiabá no mês de julho para gravar uma matéria sobre o assunto, que foi exibido no último domingo (08).

A hanseníase é uma doença negligenciada, que atinge principalmente as áreas mais pobres do Brasil. Estudos mostram que houve uma redução nos casos desde 2003, mas nos últimos dois anos os números aumentaram, e Mato Grosso aparece como a região com o maior número de registros da doença. Apesar de parecer uma situação ruim, foi constatado que esse aumento de casos no estado aconteceu porque o sistema de saúde tem conseguido diagnosticar mais pessoas do que nos outros locais do país.

“A Prefeitura de Cuiabá realiza constantemente capacitações para as equipes de Agentes Comunitários de Saúde (ACS), enfermagem e médicos da rede para a realização de busca ativa de casos de Hanseníase. Com isso, conseguimos identificar mais pessoas que tem a doença. Isto não significa que temos mais pacientes de Hanseníase do que o resto do país, mas sim que estamos conseguindo reconhecer e diagnosticar com mais facilidade, por isso nossos números aumentaram”, explicou o Responsável Técnico de Hanseníase da Secretaria Municipal de Saúde, Cícero Fraga.

A matéria do dr. Draúzio mostrou o caso da psicóloga Jucy Soares de Jesus, que durante 6 anos sofreu com dores fortes pelo corpo, mas os médicos não conseguiam descobrir a origem. A médica do PSF Renascer, de Cuiabá, Andrea Tomborelli foi quem descobriu que Jucy estava com Hanseníase. Após o diagnóstico, ela fez o tratamento inteiro pelo SUS, totalmente gratuito e atualmente está completamente curada. “Fiquei apenas com uma pequena seqüela nas mãos, mas nada que chegue a me atrapalhar”, disse a psicóloga.

“Nós vimos as estatísticas que saíram sobre a incidência de Hanseníase e Mato Grosso apareceu como o estado com o maior número de casos. À princípio, achamos estranho pois o serviço de saúde em Mato Grosso é mais organizado do que em estados que apareceram com menor número de casos. Conversamos com alguns especialistas e o presidente da Sociedade Brasileira de Hanseníase dr. Claudio Salgado explicou que Mato Grosso estava mais organizado em relação ao diagnóstico, e está detectando mais casos do que os outros estados. Por isso, decidimos vir para cá. Este trabalho está sendo feito aqui em Cuiabá com seriedade e tem mostrado que a doença ainda existe e que é algo com o que devemos nos preocupar. Identificando os doentes e tratando, é possível chegar na cura”, disse dr. Dráuzio.

SINTOMAS

Os sinais e sintomas mais frequentes da hanseníase são:

·         Manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas, em qualquer parte do corpo, com perda ou alteração de sensibilidade térmica (ao calor e frio), tátil (ao tato) e à dor, que podem estar principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, na face, nas orelhas, no tronco, nas nádegas e nas pernas.

·         Áreas com diminuição dos pelos e do suor.

·         Dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas.

·         Inchaço de mãos e pés.

·         Diminuição sensibilidade e/ou da força muscular da face, mãos e pés, devido à inflamação de nervos, que nesses casos podem estar engrossados e doloridos.

·         Úlceras de pernas e pés.

·         Caroços (nódulos) no corpo, em alguns casos avermelhados e dolorosos.

·         Febre, edemas e dor nas juntas.

·         Entupimento, sangramento, ferida e ressecamento do nariz.

·         Ressecamento nos olhos.