16 de Maio de 2018 às 15:26

De olho em apoio, Taques segue seduzindo nomes para manter PP por perto; alvo agora é Neri Geller

Gazeta MT

O ex-secretário de Políticas Agrícolas e também ex-ministro da Agricultura, Neri Geller (PP), afirmou que se sente lisonjeado por ter o nome citado a possível composição à vice na chapa de reeleição do governador Pedro Taques (PSDB), mas, reforça seu projeto de candidato a deputado federal pelo Partido Progressista. "Eu fico muito feliz por ser lembrado pelo governador, temos um ótimo relacionamento, mas, quem me conhece sabe que eu sou partidário. Meu compromisso é seguir a orientação do meu partido, onde meu nome está colocado para concorrer a uma vaga na Câmara Federal", disse.

De olho no PP

Taques trabalha duro para atrair o apoio Progressista nestas eleições. Ontem, 15, nomeou o presidente municipal do PP, Demílson Nogueira, para a presidência do Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat). O tiro não foi em vão.

Problema para Taques é o cacique Blairo Maggi. Fora da disputa política, o atual ministro é quem bate martelo da sigla no Estado e tende a ignorar o projeto de reeleição do tucano. O mais provável é que se junte ao compadre Adilton Sachetti -PRB e outras siglas no projeto da oposição, possivelmente encabeçado pelo ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes.  

Outra ala progressista, porém, garante apoio ao terceiro nome na disputa ao Governo, o atual senador Wellington Fagundes -PR.

JBS

Neri teve o seu nome citado na delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (sem partido) e também pelos executivos da JB S/Friboi sob suspeita de ter participado de esquemas de corrupção.