4 de Out. de 2017 às 06:58

Derf prende suspeitos de roubarem R$ 100 mil em joias de vendedor

Os acusados são moradores de Várzea Grande e Cuiabá

Redação com assessoria PJC

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) prendeu, nessa terça-feira (03), dois homens acusados de atuarem no roubo de aproximadamente R$ 100 mil em joias ocorrido em Cuiabá (MT). Carlos Eduardo Silva e Leonardo Augusto Rodrigues Bruno tiveram as ordens de prisão decretadas por roubo majorado. O crime contou com apoio da esposa de Carlos Eduardo.

Segundo a Derf, as investigações iniciaram assim que a vítima procurou a delegacia para registrar a ocorrência. O vendedor de joias contou que atende em domicílios e local de trabalhos dos clientes. De acordo com a vítima, a suspeita era sua cliente e teria sumido após parcelar uma compra.

No dia do roubo, 02 de setembro, a ela entrou em contato com o vendedor, dizendo que efetuaria o pagamento e que tinha interesse de olhar novos produtos. Para tanto, eles marcaram encontro, às 18 h, do lado de fora do Shopping Goiabeiras.

A vítima ficou aguardando dentro do veículo e recebeu mensagem da suspeita, falando que estava atrasada e questionando qual o local exato e as características do carro em que ele estava. Logo após passar as informações para a cliente, dois homens em uma motocicleta chegaram armados e anunciaram o roubo, dizendo que sabiam da maleta de joias.

A equipe da Derf conseguiu identificar que Carlos Eduardo é esposo da suposta cliente. Ele possui extensa ficha criminal e tinha as mesmas características da pessoa que conduzia a motocicleta.

Com a informação de que Carlos Eduardo e a companheira dele são moradores de Várzea Grande (MT), investigadores da Derf Cuiabá solicitaram informações na Derf Várzea Gande conseguindo identificar Leonardo como comparsa no crime. Através de fotos, a vítima prontamente reconheceu Leonardo como a pessoa que desceu da motocicleta e mediante ameaças com emprego de arma de fogo e subtraiu a maleta de joias.

Diante dos indícios de autoria o delegado, Eduardo Rizzoto de Carvalho, representou pela prisão preventiva dos acusados, decretadas pela Justiça e cumpridas na terça-feira (03) pela equipe da Derf. Carlos Eduardo foi capturado na residência dele, no Bairro Mapim em Várzea Grande. Leonardo já estava preso na Cadeia Pública de Várzea Grande por outros crimes. A suspeita responderá pela participação no crime em inquérito policial.

O delegado disse que Carlos Eduardo possui quatro registros criminais por roubo majorado. Leonardo possui sete registros criminais, sendo a maioria por roubo majorado, além de porte ilegal de arma, corrupção de menores, receptação e associação criminosa.