8 de Abril de 2019 às 08:57

Após adiamento, julgamento de Selma ocorre amanhã

Senadora eleita é acusada de caixa 2 e abuso de poder econômico na eleição de 2018

De Rondonópolis - Robson Morais

A senadora eleita Selma Arruda -PSL, terá julgada sua candidatura amanhã,9. A Ação de Investigação Judicial Eleitoral contra a senadora seria no último dia 2, mas acabou adiada.

Selma é acusada de caixa 2 e abuso do poder econômico na eleição de 2018, por ter contratado uma agência de publicidade por R$ 1,8 milhão. A solicitação para investigar a chapa da senadora foi solicitada pelo candidato derrotado ao Senado, Sebastião Carlos Gomes Carvalho -Rede.

A ação corre em segredo de Justiça e o relator é o desembargador Pedro Sakamoto. O processo, movido pelo Ministério Público Eleitoral, tem mais de 2 mil laudas. Se Selma for cassada, Mato Grosso deve ter eleição suplementar para a vaga ao Senado porque o pedido de cassação também atinge os dois suplentes.

Defesa

A senadora Selma Arruda, do PSL de Mato Grosso, vai pedir a suspeição do desembargador que a julgará por abuso de poder econômico. Seus advogados já trabalham no texto.

A ex-juíza, conhecida como "Moro de saias", acusa o desembargador Pedro Sakamoto de ter antecipado voto, favorável à sua condenação, à imprensa local.

Na semana passada, a assessoria de imprensa da parlamentar comunicou a contratação de uma nova banca de advogados para atuar no caso. A partir de agora a defesa será feita pelo escritório Oliveira Freitas, que tem sua sede em Brasília.