4 de Julho de 2019 às 07:08

Bebê é encontrado ao lado do corpo da mãe assassinada a facadas em MT

Um vizinho da vítima que a encontrou morta dentro de sua casa na tarde de quarta-feira (03), em Primavera do Lesta.

Cuiabá, MT - Daffiny Delgado

Uma jovem identificada como Thais Mara dos Santos Gomes, 23 anos, foi encontrada morta na tarde de quarta-feira (03), e sua filha recém-nascida ao lado do corpo da vítima, dentro da residência onde moravam no bairro Castelândia, em Primavera do Leste.

Um vizinho da vítima que acionou a Polícia Militar, após ter encontrado a jovem sem vida.

De acordo com a PM, a testemunha contou que o marido de Thais, que é caminhoneiro, ligou para ele naquela tarde e pediu para verificar se estava tudo bem com a mulher, pois ela não atendia o telefone.

Em seguida, o homem foi até a residência e chamou por várias vezes pela jovem, mas ninguém respondeu. Com a autorização do esposo de Thais, o vizinho então pulou o muro do imóvel.

Foi neste momento que a testemunha encontrou a vítima caída na casa, com uma faca cravada embaixo do braço e a filha do casal de apenas quatro meses de idade chorando ao lado do corpo da mãe.

Uma equipe do Conselho Tutelar também foi acionada e retirou a criança do local. O bebê chorava bastante, estava com fome e suja de sangue, mas não tinha nenhum ferimento pelo corpo.

A Perícia Oficial Técnica (Politec) foi acionada e encaminhou o corpo da jovem para o Instituto Médico Legal (IML).

As informações preliminares dão conta que Thais vinha recebendo ameaças de morte por parte da sogra. As duas teriam um desentendimento, pois a sogra – cuja identidade não foi divulgada – não acreditava que a criança era filho do marido de Thais.

Há alguns dias atrás, as duas teriam se desentendido e a jovem teria quebrado algumas coisas na casa da suspeita, que chegou a dizer que contrataria alguém para matá-la.

A Polícia Civil informou que a sogra e o marido da vítima foram conduzidos a delegacia da cidade na manhã desta quinta-feira (04), onde devem prestar esclarecimentos sobre o caso ao delegado Pablo Borges Rigo.