6 de Dez. de 2017 às 15:51

Ex-deputado e coronel da PM será monitorado por tornozeleira eletrônica

Gazeta MT

O coronel aposentado da Polícia Militar, o ex-deputado estadual Pery Taborelli, que condenado a dois anos de detenção em regime semiaberto por abuso de autoridade, passou a ser monitorado através de tornozeleira eletrônica. O monitoramento foi determinado pelo juiz Geraldo Fidelis Neto, da Segunda Vara Criminal de Cuiabá, no dia 1º de dezembro.

De acordo com a decisão, entre as medidas impostas, Pery deverá se recolher na casa dele no período das 20h e 6h. O coronel aposentado também não poderá frequentar lugares inapropriados, como casa de prostituição, casa de jogos, bocas de fumo e locais similares. O ex-PM também não terá autorização para portar armas, faca e canivete.

Ainda, Taborelli não poderá ingerir bebida alcoólica ou fazer uso de qualquer entorpecente. Por fim, o ex-deputado deverá comparecer mensalmente na 2ª Vara Criminal de Cuiabá para assinar o termo de comparecimento, comprovar o trabalho do mês e para fiscalização da tornozeleira.

Em abril deste ano, Taborelli foi condenado a dois anos e quatro meses e 13 dias de detenção em regime semiaberto por abuso de autoridade e privação de liberdade contra um grupo de pessoas e adolescentes, em junho de 2011 durante a comemoração do aniversário da cidade de Rosário Oeste, a 133 km de Cuiabá.

Desde agosto deste ano oficiais de Justiça tentavam localizar o ex-deputado para intimá-lo a comparecer em uma audiência onde ele seria informado sobre as condições do regime semiaberto, ao qual ele foi condenado.

A situação em que o policial se envolveu ocorreu durante uma festa em comemoração aos 150 anos de fundação do município, onde Taborelli era comandante do batalhão da cidade. Os policiais abordaram um grupo de pessoas onde supostamente havia a situação de adolescentes ingerindo bebidas alcoólicas.

Três adolescentes foram colocados no camburão das viaturas, de forma truculenta, e levados até a delegacia da cidade. Outros adultos que estavam no local também foram detidos. Um dos adolescentes, do sexo feminino, declarou à justiça que estava acompanhada dos irmãos maiores de idade e que foi puxada pela camisa por Taborelli, até o momento em que a roupa se rasgou. A adolescente afirmou que foi arrastada pela calça até a viatura.