4 de Out. de 2017 às 13:00

“Eu quero que o Emanuel se f...”, revela novo trecho de áudio que pode comprometer delação

Gravação de ex-secretário mostra Silvio Correia dando detalhes de vídeos de deputados recebendo dinheiro e conversa diálogos com Silval

Gazeta MT

Novas revelações da conversa gravada pelo empresário e ex-secretário de Estado Alan Zanatta com o hoje delator e braço direito do ex-governador Silval Barbosa -PMDB, Sílvio Correa, mostram que os vídeos em que deputados estaduais e outros políticos enchem malas com dinheiro, suposta propina, forma gravados todos num único dia. "Eu tinha R$ 450 mil e acabou", diz o delator.

Questionado por Zanatta, que gravou a conversa após, segundo alega, insistência de Correa em ter uma conversa pessoalmente, o braço direito de Silval afirma que nunca havia visto o conteúdo dos vídeos, só o fez quando entregou ao Ministério Público Federal.

As gravações integram as delações premiadas de Correia e Barbosa homologadas junto à Procuradoria Geral da República -PGR. O conteúdo foi classificado pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal -STF, como "monstruosa".

No novo revelado pela Justiça o ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa confessou, ainda, preocupação com o procurador Alexandre César e a citação dos parlamentares que mais pressionavam o governo em busca de propina.

O áudio de Zanatta chegou a seu entregue ao prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro. Questionando sobre a participação de Pinheiro, Zanata perguntou a Correia quais dos parlamentares pressionavam mais o governo usando o termo "colocar a faca no pescoço".

Silvio diz ter lembrado de ter filmado Emanuel só ao ver a gravação, mas que Silval não se importou muito, mostrando preocupação somente com o ex-deputado Alexandre César, que é parente de sua esposa.

Zanatta: E quem botava mais a faca no pescoço?

Silvio: Baiano, Zé Domingos, Gilmar Fabris.

Zanatta: O Emanuel botou muito a faca no pescoço?

Silvio: Não, ele cobrava, mas não colocava a faca no pescoço.

Silvio: Juro pelo meu filho, quando eu vi a fita, eu falei Silval, é o Emanuel, ele disse eu quero que o Emanuel se f..., eu estou preocupado com o Alexandre César. O Alexandre é parente da mulher dele.

O ex-chefe de gabinete afirmou na conversa também que não existiu seleção para filmar os deputados, e que os vídeos salvaram o seu acordo de delação, pois ele não tinha nada mais ao oferecer o Ministério Público Federal.

Silvio Correia segue em prisão domiciliar. Alan Zanatta entregou o vídeo para as investigações, a Procuradoria Geral da República irá analisar o caso.

Defesa

Logo após a apreensão do áudio da casa do atual rpefeito da capital do Estado, a defesa de Silvio Corrêa contestou a gravação feita por Zanatta. "Em nenhum momento o colaborador Silvio afirma que elas estão fora de contexto, pois quem menciona isso é o próprio Alan Zanatta, na frustrada tentativa de a qualquer custo produzir prova supostamente no interesse da defesa de Emanuel Pinheiro", diz trecho da nota. "Trata-se de nítido caso de pagamento de propina ao então deputado Emanuel Pinheiro (atual prefeito) e aos demais deputados que compareciam para receber propina em uma verdadeira fila indiana", completa.