9 de Out. de 2017 às 14:11

Três nomes foram referendados pelas convenções em Primavera do Leste

Pleito será realizado no próximo dia 19, após cassação confirmada de Getúlio Viana

Gazeta MT

Primavera do Leste terá três candidatos concorrendo à prefeitura nas eleições municipais, que serão realizadas em 19 de novembro, de acordo com o calendário definido pelo Tribunal Regional Eleitoral, TRE. Os partidos tinham até meia noite deste domingo, 8, para definir as coligações e os nomes que concorreram o pleito de prefeito e vice-prefeito. Os pré-candidatos são Leonardo Bortolin, PMDB, e Sérgio Fava, PR, Mateus Viana, PDT, e Carmen Betti, PSC, Luizinho Magalhães, e Zezinho, ambos do PSDB. Partidos e candidatos podem registrar a candidatura até quarta-feira, 11.

As convenções foram realizadas nas dependências da Câmara Municipal. Com o plenário lotado,  o PMDB e mais doze partidos - PV, DEM, PT, PSD, PMDB, PMB, PTB, SD, PRB, PR, PROS, PRB - formaram um arco de aliança - e oficializaram Leonardo Bortolin e Sérgio Fava com o slogan "A Renovação Une". Léo é atualmente o prefeito do município, após o afastamento do ex-prefeito Getúlio Viana. Foi nas duas eleições, o vereador mais votado, se tornou o presidente da Câmara e por isso hoje responde pela Prefeitura.

A oposição decidiu pelo nome do Matheus Viana, do PDT, partido do seu pai, o deputado estadual, Zeca Viana, como candidato a prefeito. Como vice, o PSC emplacou o nome da vereadora Carmem Oliveira, que ameaçou uma candidatura à prefeita e, caso consolidasse essa ideia, o grupo ficaria prejudicado eleitoralmente. Sem muitas opções e descartando de uma maneira grosseira a composição com o PSDB, que na eleição passada, indicou o vice de Getúlio, ao PDT restou o PSC de Carmem.

Inicialmente ela queria formar aliança também com PSDB, porém, os dirigentes dos partidos não aceitaram o nome dela, na chapa. Mateus Viana, conforme informações de lideranças ligadas ao PDT, chegou até desistir da candidatura, mas voltou atrás, já que para os Vianas, é só Viana. A chapa continuará com o nome de "Avante Primavera" e o arco de aliança está entre o PDT e PSC, já que o PSB, que apoio a candidatura de Getúlio Viana, em 2016, passou a apoiar Leonardo Bortolin e Sergio Fava.

Já o PSDB,  lançou o nome de Luizinho Magalhães e Zezinho, prefeito e vice, respectivamente, na famosa chapa pura. O partido esperou até o último momento uma composição com o PDT, mas  foi totalmente ignorado pelos Viana e, numa demonstração de coragem foi à luta. O PSDB de Primavera não teve o apoio necessário para brigar por um lugar ao sol, nesse processo eleitoral. O diretório estadual não participou, não veio, não orientou e, muito menos incentivou seus membros a uma candidatura própria, diferente do deputado federal Valtenir Pereira, que dissolveu a Comissão Provisória do PSB, que estava com Getúlio Viana, entregou para uma aliada, a advogada Mirian Ribeiro, veio para a convenção dando apoio moral ao seu partido e apoiando explicitamente a chapa Léo e Sergio Fava.

Porque um novo pleito em Primavera do Leste?

Após o ex-prefeito Getúlio Viana ter sido denunciado por realização de despesas não legítimas, com refeições e hospedagens, aquisição de bens e serviços sem processo licitatório e contratação e manutenção de servidores, sem realização de concurso público, o TSE  referendou a decisão de Primavera e de Mato Grosso que já haviam indeferido o registro da sua candidatura, o afastou do cargo e marcou novas eleições. Leonardo Tadeu Bortolin, que estava na presidência da Câmara Municipal, por determinação da justiça, assumiu a chefia da Prefeitura até que o novo pleito defina de forma democrática, o novo prefeito.

As eleições suplementares são convocadas quando a decisão Justiça Eleitoral importar o indeferimento do registro, a cassação do diploma ou a perda do mandato de candidato eleito em pleito majoritário, independentemente do número de votos anulados. Em caso de eleições para prefeito, uma vez decidida a sua realização, as instruções são publicadas em resolução específica, aprovada pelo tribunal regional eleitoral respectivo, de acordo com o calendário estabelecido anualmente pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Eleitorado

 Primavera do Leste tem atualmente 39.988 eleitores cadastrados, são 1.915 a mais do que em outubro de 2016, quando ocorreram as eleições municipais. Este número poderia ser maior, mas oito mil títulos foram cancelados no município. Dessa forma, os eleitores que estão nessa situação, podem procurar o Cartório Eleitoral e regularizar a situação, no entanto, segundo informações do chefe da 40ª Zona Eleitoral, Rodrigo Felipinni, essas pessoas não poderão votar, já que alei determina que o cadastramento biométrico deva ser feito 151 dias antes das eleições.