11 de Jan. de 2017 às 10:12

Apreensões feitas pelo Gefron em 2016 são 44% maiores do que em 2015

O Grupo Especial de Segurança na Fronteira recebeu em 2016 um reforço de mais um tenente e 31 soldados recém-formados

Gazeta MT

Três mil novecentos e cinquenta quilos de entorpecentes foram apreendidos pelo Grupo Especial de Fronteira (Gefron) no ano de 2016. O número é 44,9% maior que o ano de 2015, quando o fechamento foi de 1.770 quilos.

"Isso é resultado de muito trabalho e planejamento. Esse número mostra o empenho da nossa tropa e a dedicação do nosso efetivo. Avançamos muito no ano passado e esses resultados são reflexo desse trabalho, além de motivar para novas ações", destacou o comandante da unidade, tenente coronel PM Joanildo Assis.

Abrangendo 983 quilômetros de fronteira entre a Bolívia e o Brasil, o monitoramento das regiões fronteiriças feitas pelo Gefron destacou-se também no ano passado pelas apreensões de veículos, valores monetários, armas, munições e cumprimento de mandados.

No acumulado de apreensões em 2016, foram 202 veículos, 60 armas de fogo, 2.586 munições, e 58 prisões por mandados. Além disso, também foram apreendidos mais de R$ 232 mil e U$ 387 mil, ambos os valores sem comprovação de origem.

Em 2015, o mesmo período registrou a apreensão de 269 veículos, 34 armas de fogo, 1.175 munições e trinta e nove mandados de prisão foram cumpridos. Neste mesmo ano, R$1,2 milhões e 516,110 mil dólares também foram apreendidos.

A ocorrência mais expressiva no ano de 2016 foi a apreensão de 583 quilos de substância análoga a pasta base de cocaína. A droga estava em uma propriedade agrícola numa comunidade conhecida como Bocaiuval, próximo ao município de Porto Esperidião (358 km de Cuiabá).

A apreensão foi realizada após denúncia anônima de que a propriedade estava sendo utilizada como estoque de drogas e que veículos eram "carregados" com as substâncias para fazer a rota do tráfico.

Para o comandante do Gefron, o ano fechou com balanço positivo comparado aos últimos 3 anos. "Os números demonstram que estamos no caminho certo. Precisamos manter o olhar estratégico para o policiamento de fronteira. Ações pontuais têm dado resultados e feito a diferença nos nossos trabalhos", disse Assis.

Ele também destacou as ações integradas com órgãos de segurança pública estadual e federal. "Não podemos esquecer do apoio que recebemos das unidades que trabalham conosco na fronteira e que contribuem com esses resultados. A integração das forças nos ajuda a promover a segurança na fronteira" afirmou o comandante.

Efetivo

O Grupo Especial de Segurança na Fronteira recebeu em 2016 um reforço de mais um tenente e 31 soldados recém-formados do último concurso público para a área da Segurança.

Para desempenhar função policial no enfrentamento aos crimes típicos da região de fronteira, os militares passarão por capacitação por meio do Curso de Policiamento de Fronteira (CPfron). Foram 42 dias de instruções teóricas e práticas, que formou 39 policias para atuarem como operadores de fronteira.

O curso foi realizado entre os meses de outubro e novembro nos municípios de Cáceres e Porto Esperidião.