18 de Set. de 2018 às 16:49

Dia “D” de vacinação antirrábica ocorrerá neste sábado (22)

Leve seu animal de estimação no posto de saúde mais próximo e garanta a imunização

Gazeta MT

Neste sábado (22) ocorrerá o Dia D da vacinação antirrábica, em Primavera do Leste. Todos os postos de saúde da cidade estarão abertos para receber a população com animais de estimação acima de quatro meses de vida, até mesmo as fêmeas prenhas ou em fase de amamentação. A imunização vai ocorrer das 7h30 às 16h30. A meta da campanha é vacinar, em Primavera, cerca de 8,6 mil animais, sendo 7,6 mil cachorros e 1 mil gatos.

Para garantir a imunização do seu amigo de estimação, não se esqueça de comparecer com a carteira de vacinação do animal. Não será possível retirar doses nas unidades para levar pra casa, portanto, todos os animais, independente do porte ou raça, devem ser levados até os postos, com as devidas proteções para evitar qualquer tipo de ataque a outros animais ou pessoas.

A raiva é uma doença considerada um tanto incomum, mas é tida como uma grande preocupação por parte dos donos de pets. Incurável nos animais e fatal em 100% dos casos, a doença é uma zoonose e, portanto, também pode afetar os seres humanos - sendo que a vacina antirrábica é, ainda hoje, a sua única forma de prevenção.

No entanto, como ainda há uma grande quantidade de animais abandonados por todo o País, a transmissão da doença não é algo descartado. Transmitida por meio da saliva dos animais contaminados, a raiva é passada, principalmente, pela mordida dos animais doentes - sejam eles gatos ou cães. Nos cachorros e no homem, o vírus da doença pode permanecer encubado por até dois meses antes que os seus sintomas comecem a aparecer. Nos gatos, a doença destaca sinais diferenciados, mas não menos agressivos.

Raiva em cães

A raiva se apresenta nos cães em três tipos distintos: Raiva Furiosa, Raiva Muda e Raiva Intestinal - sendo a última a sua forma mais rara e agressiva, que causa cólicas, vômitos e hemorragias gastrointestinais, levando o cachorro ao óbito em até 3 dias. Os primeiros sinais da Raiva Furiosa são o isolamento do animal (que passa a se esconder e busca lugares escuros para permanecer), a agitação e latidos e mordidas no ar sem motivo aparente.

Em muitos casos, o cão afetado passa a lamber o local onde foi mordido e infectado pela doença de maneira constante, recusando alimentos e tentando comer suas próprias fezes. Salivação excessiva é outro sinal comum e considerado um dos mais "clássicos" da raiva que, a partir desse período, provoca muita agressividade e a paralisia do animal, que morre em até 48 horas. Na Raiva Muda, os sinais de isolamento, cansaço e busca de locais escuros já progride para a paralisia, levando o animal à morte em pouco tempo.

Raiva em gatos

Muitos dos sintomas notados em cães também se manifestam nos gatos com raiva, sendo que os principais sinais da doença nos felinos começam com a alteração de comportamento. Falta de apetite, hidrofobia, febre, agitação extrema, salivação excessiva, muita agressividade e paralisia são comuns nos bichanos doentes, que morrem cerca de dez dias após sua contaminação.

A vacina antirrábica é única forma de prevenção segura da doença, e deve ser administrada nos cães com, pelo menos, quatro meses de vida. Incurável nos animais, a doença, quando transmitida para seres humanos, também pode ser extremamente agressiva e fatal.

Uma pessoa mordida por um animal contaminado deve procurar um local especializado em doenças infecciosas imediatamente, para que possa ser vacinado e curado.