9 de Out. de 2018 às 14:24

Médicos Regional cruzam os braços e Instituto Gerir fica calado

Reportagem solicitou informações sobre atraso nos repasses e previsão de regularização. Questionamentos não foram atendidos

Robson Morais

Médicos do Hospital Regional de Rondonópolis seguem de braços cruzados desde ontem, 8. A primeira alegação é a de falta de repasses financeiros por parte do Governo do Estado. Segundo o sindicato que defende a categoria, os atrasos se arrastavam há 120 dias.

Somente pacientes em situação de urgência e emergência são atendidos na unidade. O Hospital Regional de Rondonópolis é administrado pelo Instituto Gerir, organização social que também comanda o hospital de Sinop.

Sem resposta

Nesta terça-feira, 9, pela manhã, a reportagem do GazetaMT enviou uma série de questionamentos, via e-mail, à assessoria de imprensa do Instituto Gerir, que administra o Hospital Regional de Rondonópolis. Minutos mais tarde o e-mail retornou, mas o instituto se negou a fornecer qualquer declaração e pediu que fosse procurada a Secretaria Estadual de Saúde (SES), à qual a reportagem também já havia solicitado informações. Indagada, a assessoria novamente não repassou qualquer versão oficial e complementar por parte do instituto, a rigor do critério jornalístico, isento e imparcial.

SES

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) disse que o valor mensal a ser repassado para o Instituto Gerir é de R$ 5,4 milhões. Desse total, a pasta havia repassado na última quarta-feira (3) R$ 1,8 milhão "e o saldo está sendo programado para pagamento ainda esta semana assim que os recursos forem disponibilizados pela Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz)".