5 de Maio de 2018 às 08:00

Período de colheita de soja termina neste sábado

Na safra 17/18 foram usados 7.948.374,29 hectares para o plantio da oleaginosa, um aumento de 0,17% em relação à safra anterior

Gazeta MT

O período de colheita da safra 2017/2018 de soja termina neste sábado (05.05) em Mato Grosso. A medida consta na Instrução Normativa Conjunta nº 002/2015, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT) e do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT).

Após a data estabelecida todas as áreas cultivadas com soja deverão estar colhidas, podendo permanecer somente as plantas de soja guaxa ou de germinação espontânea de grãos oriundos das perdas da colheita, até a data estabelecida para o início do vazio sanitário de 15 de junho.

Na safra 17/18 foram usados 7.948.374,29 hectares para o plantio da oleaginosa, um aumento de 0,17% em relação à safra anterior. De acordo com o relatório de acompanhamento de colheita publicado em 20 de abril, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), 99,94% da área plantada de soja já foi colhida.

Vazio sanitário

O produtor rural também precisa ficar atento ao período do vazio sanitário, de 15 de junho a 15 de setembro, que visa à segurança fitossanitária, prevenção e controle da ferrugem asiática da soja no estado.

Durante esse período, não é permitida a existência de plantas vivas de soja, sejam cultivadas ou "guaxas". Isso inclui as plantas vivas de soja ao redor dos armazéns e à beira das estradas e ferrovias dentro da área de domínio do produtor.

O fungo Phakopsora pachyrhizi ataca a planta de soja causando a desfolha precoce, impedindo a completa formação dos grãos e, consequentemente, redução da produtividade e prejuízos econômicos.

A multa para quem descumprir o período do vazio sanitário é de 30 Unidade Padrão Fiscal (UPF-MT), mais 2 UPFs por hectare de planta não eliminada. O valor da UPF pode ser consultado no site da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz-MT).

O descumprimento do vazio sanitário da soja pode ser denunciado à Ouvidoria do Indea, pelo telefone 0800 647 9990.